Visualizar projeto

Dados Básicos
Título
Práticas Integrativas e Complementares em Fonoaudiologia: aplicação na área de linguagem oral e escrita
Número do projeto
055618
Número do processo
23081.020100/2021-38
Classificação principal
Pesquisa
Data inicial
30/06/2021
Data final
31/12/2025
Resumo
Uma crescente busca da população pelas Práticas Integrativas e Complementares (PICs) tem se observado, bem como, um aumento de sua oferta pelos profissionais da saúde tanto em âmbito público quanto privado. Apesar de uma década da proposta da Política Nacional de PICs no SUS ter sido estabelecida, pouco se observa essas ações na Fonoaudiologia. Esta constatação traz a necessidade de comprovação da eficiência e eficácia destes métodos terapêuticos, e também de estudos sobre demandas, práticas, percepções, crenças e atitudes de profissionais de diferentes classes que integram o sistema de saúde. Portanto, este projeto visa indiretamente ampliar as ações neste campo, por meio do objetivo de estudar os efeitos das PICs, especificamente do Reiki, da meditação e da auriculoterapia, no tratamento dos distúrbios da comunicação humana. Para tanto, serão tratados sujeitos com alterações de linguagem oral e/ou escrita (gagueira, transtorno fonológico, alterações de linguagem oral e escrita) com e sem PICs. Os atendimentos serão individuais de aproximadamente 50 minutos nos quais será ofertada a terapia clássica preconizada pela literatura em cada patologia. Para cada caso haverá outro que receberá a terapia clássica mais uma PICs que o paciente seja mais adepto (Reiki, meditação ou auriculoterapia). Após a finalização das terapias (momento de alta), os casos com e sem PICs serão comparados quanto ao tempo do processo terapêutico até sua alta, e/ou, no caso da auriculoterapia, o número máximo de sessões por bloco, bem como à qualidade de vida auto relatado pelo paciente, a fim de verificar a contribuição das PICS na evolução dos casos.
Objetivos
Objetivo Geral Estudar a influência das Práticas Integrativas e Complementares no tratamento dos distúrbios da comunicação humana. Objetivos específicos - Verificar os efeitos do Reiki na melhora dos sintomas linguísticos de pacientes com diagnóstico fonoaudiológico de distúrbios da comunicação humana, tais como gagueira, transtorno fonológico, e alterações de linguagem oral e escrita. - Investigar a influência da meditação nos sintomas de linguagem de pacientes com diagnóstico de distúrbios da comunicação humana, tais como gagueira, transtorno fonológico, alterações de linguagem oral e escrita. - Investigar a influência da auriculoterapia nos sintomas de linguagem de pacientes com diagnóstico de distúrbios da comunicação humana, tais como gagueira, transtorno fonológico, alterações de linguagem oral e escrita. - Descrever os efeitos do Reiki, da meditação e da auriculoterapia na qualidade de vida de pacientes com distúrbio de comunicação. - Comparar os resultados das terapias de pacientes com distúrbios da comunicação humana tratados ou não com PICS.
Justificativa
Novos modelos de saúde surgiram mais fortemente no ocidente a partir da década de 80, devido à crise da medicina tecnológica e especialista indicada apontada pela Organização Mundial de Saúde. Esse movimento veio em resposta a uma medicina científica que não soluciona os problemas de saúde de grande parte da população mundial, agregado à uma crise ética e social contemporânea da medicina, fortemente calcada na medicalização e centrada na doença (NOGUCHI, 2015). Adicionalmente, percebe-se a existência de uma relação na qual o paciente é visto como um consumidor de bens médicos e não como alguém que está em sofrimento e que precisa ser aliviado. Esses fatores têm contribuído para o crescimento da busca e do uso de práticas alternativas e complementares em saúde (LUZ, 2005). Na busca de olhar além do sintoma e do diagnóstico, concebendo o paciente de forma holística, um interesse nos efeitos das terapias complementares na saúde e bem-estar tem surgido. A necessidade de incluí-las como forma de cuidado à saúde devido a relação mente corpo se tornou algo necessário nos tempos atuais (NOGUCHI, 2015). Na perspectiva holística, a saúde apresenta-se como um olhar global do ser humano. Neste sentido a doença, pode ser entendida com múltiplas causas. Sendo assim, seu tratamento deveria envolver a sua remediação, envolveria o equilíbrio do corpo, da mente e do espírito. O paciente acaba ocupando um papel de protagonista e promotor de sua própria saúde, provido de saber. As práticas integrativas e complementares (PICs) surgem da necessidade de incorporação de tratamentos. Como o nome diz, elas não substituem o tratamento recomendado pela literatura, mas complementam o mesmo. O crescimento e institucionalização dessas práticas também podem ser atribuídos à sua forma de diagnose e terapêutica, menos cara, eficaz, que favorece a autonomia do paciente, considerado na sua dimensão psicológica, biológica, social e espiritual (LUZ, 2005). As práticas terapêuticas classificadas como alternativas ou complementares em geral não consideram a doença como resultante da intrusão de um agente externo, mas como um conjunto de causas que culminam em desarmonia e desequilíbrio (QUEIROZ, 2000). A doença é entendida, pelos praticantes das PICS, como uma desorganização entre forças energéticas que trazem, por consequência, sinais expressos pelo corpo, e não como um desvio localmente definido em um órgão ou tecido, como entende a medicina convencional. Assim, o próprio paciente é incentivado a ter uma participação mais ativa no processo terapêutico, sem se colocar no papel de um receptor de soluções externas, como normalmente ocorre quando tratado pela medicina convencional (FURNHAM, 2002). As PICs, denominação adotada no Brasil pelo Ministério da Saúde, foram incluídas no sistema de saúde da rede pública em 2006. Elas estão afinadas com a Política de Humanização do SUS nos serviços de saúde, por exemplo a meditação do tipo mindfulness, pode desenvolver a empatia no profissional da saúde, além de melhorar o prognóstico dos pacientes avaliados (CAMPAYO, 2008). Em relação à Fonoaudiologia, um estudo realizado no Brasil, mostrou que os fonoaudiólogos inseridos no setor público de saúde traziam atitudes positivas em relação às PICS. Este estudo mostrou concordância com outras pesquisas nacionais e com outras categorias de profissionais da saúde. Embora seja bastante expressiva a aceitação de PICs como a acupuntura e a homeopatia pelos fonoaudiólogos entrevistados, os resultados do referido estudo sugerem que as PICS são realizadas de forma racional, acompanhados de certa prudência (MANZINI ET AL, 2008). Este comportamento se evidencia quando os profissionais admitem que um tratamento complementar deve ser submetido a testes científicos antes da sua aceitação pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia, e que é desaconselhável a um paciente tentar um tratamento com a medicina alternativa e complementar antes de procurar um médico. Os participantes mostraram uma visão responsável e cautelosa em relação a tais procedimentos, ao admitirem que previnem seus pacientes de que pode ser perigoso fazer seu próprio tratamento utilizando PICs (MANZINI ET AL, 2008). A crescente busca da população pelas PICs, a expansão do seu oferecimento por profissionais da saúde em serviços públicos e particulares, e a proposta da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS trazem não somente a necessidade de novos ensaios clínicos que busquem a comprovação ou não da eficiência e eficácia destes métodos terapêuticos, mas também de estudos sobre demandas, práticas, percepções, crenças e atitudes de profissionais de diferentes classes que integram o sistema de saúde. Estes estudos são importantes para a definição de novas políticas de saúde, auxiliando a discussão das regras para a inserção das práticas integrativas no SUS (MANZINI ET AL, 2008). Assim, novos estudos com base em uma população mais ampla devem ser incentivados, envolvendo diferentes PICs e distintos diagnósticos, de forma que a atuação do fonoaudiólogo nas políticas de práticas integrativas e complementares no SUS seja melhor direcionada. Por fim, a hipótese com a qual se trabalha neste projeto, ancorada na literatura existente, é a de que as PICS podem funcionar como auxiliar no tratamento fonoaudiológico, tradicionalmente recomendado, potencializando as evoluções e abreviando o tratamento.
Resultados esperados
Espera-se que os pacientes que receberão alguma das práticas integrativas complementares refiram melhor qualidade de vida e que tenham um tratamento fonoaudiológico mais breve em relação àqueles que serão tratados com a terapia fonoaudiológica clássica.
Projeto em âmbito confidencial
Não
Projeto superior
-
Palavra-chave 1
Terapias Complementares
Palavra-chave 2
Patologia de linguagem
Palavra-chave 3
Reabilitação
Palavra-chave 4
Fonoaudiologia
Tipo de evento
Não se aplica
Carga horária do curso
[Não informado]
Situação
Em andamento
Avaliação
Sem pendências de avaliação
Última avaliação
[Não informado]
Gestão do conhecimento e gestão financeira
O projeto pode gerar conhecimento passível de proteção?
Não
Propriedade Intelectual
[Não informado]
Proteção Especial
[Não informado]
Direito Autoral - Copyright
Não
O projeto contrata uma fundação? Indique a fundação
Não necessita contratar fundação
Classificações
Tipo
Classificação
Classificação CNPq
4.07.00.00-3 FONOAUDIOLOGIA
Linha de pesquisa
00.02.08.05 LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
Quanto ao tipo de projeto de pesquisa
2.04 Projeto de Tese

Plano Gestão
Objetivo Estratégico
PDI 2016-2026 - Desafios
Desenvolvimento local, regional e nacional
Participantes
Matrícula Nome Função Carga Horária Período
@{matricula} @{pessoa.nomePessoa} @{funcao.descricao} @{cargaHoraria} h/semana @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Órgãos
Unidade Função Período
@{descricao} @{funcao.descricao} @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Plano de Trabalho
Metas/Indicadores/Fases
  • Meta:
    Análise dos resultados
    Período:
    01/03/2022 a 01/06/2024
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    Coleta dos dados
    Período:
    01/08/2021 a 30/06/2023
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    Divulgação em meio científico (congressos, palestras, seminários)
    Período:
    01/03/2023 a 31/12/2025
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    Elaboração de artigos
    Período:
    01/02/2023 a 31/12/2025
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    Publicação dos Resultados
    Período:
    01/08/2024 a 31/12/2025
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    Revisão de literatura
    Período:
    30/06/2021 a 31/12/2025
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    Seleção da amostra
    Período:
    01/08/2021 a 31/12/2022
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %