Visualizar projeto

Dados Básicos
Título
PaComê: promovendo produção, alimentação e culinária da terra
Número do projeto
055479
Número do processo
23081.016161/2021-09
Classificação principal
Extensão
Data inicial
01/10/2020
Data final
31/12/2023
Resumo
O crescente aumento dos impactos socioambientais asseverados com as mudanças climáticas e, mais recentemente, com as pandemias, tornou evidente a necessidade de rever nosso espaço e relações de consumo. As paisagens produtivas colocam-se como um dos elementos fundamentais para se pensar o desenvolvimento sustentável. A incorporação da agricultura em áreas urbanas e espaços coletivos pode apresentar elementos com diferentes tamanhos e funções, que comporão uma rede ecológica, promovendo não apenas a biodiversidade, como também a saúde, a adaptação, a promoção do patrimônio cultural e do convívio social. É neste contexto que surge o projeto de extensão PaComê, construído por meio de uma parceria entre a Universidade Federal de Santa Maria- campus Cachoeira do Sul (UFSM) e a Universidade Federal de Goiás (UFG). O projeto propõe a construção de uma rede de entusiastas sobre alimentação saudável, plantio agroecológico e culinária com produtos da terra, que procuram colaborar para uma relação mais respeitosa com a natureza e as culturas tradicionais. O projeto busca também disseminar o conhecimento acerca das paisagens produtivas em áreas urbanas, explorando desde técnicas de cultivo até a relação que a população estabelece com estas áreas a fim de ressignificar os espaços da cidade. Nessa proposta se encontram profissionais de diversas áreas e atuações, como aqueles que trabalham diretamente no cultivo e preparo dos alimentos e no desenho dessas Paisagens Produtivas no território, sejam elas rurais ou urbanas, assim como aqueles que ensinam e pesquisam sobre o tema. A presente ação de extensão espera promover esses conhecimentos como meio para busca de vivências mais harmoniosas com o espaço, o meio ambiente, corpo e mente. Ainda o presente projeto pretende ao longo do seu desenvolvimento, produzir recursos midiáticos, temas e formas de abordagem que auxiliam a uma comunicação e interação mais atrativa e interessante ao público.
Objetivos
OBJETIVO GERAL Promover e difundir teorias e práticas que discutam a produção, preparação e alimentação incluindo as paisagens produtivas originárias dos múltiplos biomas brasileiros para a garantia não apenas da biodiversidade, da saúde, da adaptação às mudanças climáticas, como também da promoção do patrimônio cultural, do convívio social e das memórias afetivas através de uma rede de colaboração interdisciplinar entre profissionais de diferentes áreas. OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Identificar o estado d’arte sobre paisagem produtiva, com ênfase ao desenho das áreas produtivas na cidade, memória afetiva, bem-estar e saúde mental; • Facilitar e democratizar o acesso a informações de produções científicas e atividades sobre Paisagem Produtiva, através de publicações em redes sociais de forma ilustrativa; • Produzir conteúdo sobre desenho das áreas produtivas na cidade, memória afetiva, bem-estar e saúde mental; • Construir um debate virtual mensal sobre um alimento específico, debatendo sobre sua sazonalidade, bioma, valor nutricional, plantio, história, memória e formas de consumo. Organizar também todo este material em um livro que poderá ser disponibilizado on-line e em ações extensionistas. • Promover o conhecimento e debate sobre alimentação, bem-estar e saúde mental; • Produção de conteúdos digitais para o instagram como: vídeos e postagens com divulgação e promoção de atividades sobre bem-estar, paisagens produtivas, saúde mental, agroecologia e suas relações; • Produção de material gráfico digital (zines), para difusão não apenas no ambiente universitário como ao público geral; • Participação em eventos científicos, culturais, comunitários, entre outros a fim de divulgar o projeto, compartilhar e trocar experiências; • Publicações informativas nas redes sociais do PaComê sobre como desenvolver a horticultura em casa e/ou em espaços públicos; • Desenvolvimento de materiais sobre técnicas sustentáveis dentro da horticultura (compostagem e reciclagem); • Contribuir com receitas sobre alimentos oriundos de hortas, as quais serão divulgadas nas mídias sociais do projeto.
Justificativa
O mundo vem passando por mudanças significativas, possibilitando que nossos olhares sejam direcionados para outras formas de relações em diferentes contextos. O consumo em suas múltiplas camadas é uma delas, e ressignificá-lo é parte importante de um processo que pode acontecer ao longo de toda a vida. Um ponto determinante quando nos vemos diante de tal possibilidade, é aquele que nos faz refletir sobre o alimento, uma das necessidades básicas do ser humano, e entender sua importância, sua origem, assim como se dão as relações com ele, e a partir dele, são os eixos que norteiam esse projeto de extensão. A relação com a alimentação vai além da manutenção da vida. Hoje nossas relações alimentares refletem escolhas, acessos, promovem saúde ou causam doenças, resgatam culturas e conhecimentos, trocas, causam impactos ou promovem a sustentabilidade. O enorme desperdício de alimentos em toda sua cadeia produtiva associada a uma cultura de fast food e consumo de alimentos ultra processados afastou as pessoas, principalmente nos centros urbanos, do processo de cultivo e preparo do alimento. O resgate dessa relação próxima com o alimento traz benefícios econômicos, nutricionais, ecológicos e para saúde física e mental. O perfil de consumo alimentar está associado ao nível de renda e escolaridade (CANUTO et al., 2019; MEDINA el al., 2019). As restrições econômicas juntamente com a dificuldade de acesso e conhecimento sobre recomendações nutricionais contribui para um pior padrão de consumo de alimentos (MEDINA el al., 2019). Embora um padrão contraditório seja observado nos perfis de maior renda e escolaridade que inclui o consumo de alimentos diversificados, ricos em nutrientes e in natura também contém o acesso a alimentos ultraprocessados e refeições prontas (CANUTO et al., 2019). Nesse contexto se confunde também o contexto espacial, onde há uma oferta menor de alimentos saudáveis e frescos em áreas economicamente desfavorecidas (LARSON et al., 2009). Assim, promover a paisagem produtiva em todos os espaços e contextos sociais, em especial nos desfavorecidos, é também uma forma de afrontar as consequências das desigualdades sociais. A promoção do cultivo ou do consumo da produção local, além dos benefícios econômicos locais, promovem a sustentabilidade ambiental da dieta, reduzindo o custo ambiental do armazenamento, transporte e do desperdício. Só no Brasil, o terceiro maior produtor mundial de frutas, a estimativa é de uma perda média de mais de 8 milhões de toneladas de frutas por ano na cadeia produtiva (GORAYEB et al., 2019) Nesse contexto, o resgate da produção de alimento, completando com ações de educação para o consumo, agricultura urbana e educação ambiental, objetivos do presente projeto, se enquadram nas diretrizes da UFSM para extensão universitária uma vez que promove a interação dialógica entre a universidade e sociedade e a troca entre áreas do conhecimento, reforçando a importância da interdisciplinaridade na formação e enfrentamento dos problemas da sociedade. Apenas nessa fase inicial do projeto arquitetas e urbanista, biólogas e psicólogas integram a rede promovendo conteúdos relacionados a produção de alimentos, saúde mental, paisagens produtivas, educação ambiental e alimentação. Ainda, o presente projeto, dentro do atual contexto de distanciamento social, pela epidemia de COVID-19, facilita a divulgação dos conhecimentos através das plataformas digitais, promovendo e reforçando informações relacionadas a alimentação, bem-estar e saúde. Embora a ação não tenha custos, se busca a atuação de acadêmicos bolsistas, familiarizado com as ferramentas de mídias virtuais com objetivo de promover um formato mais ágil, atual e voltado a diferentes setores da sociedade levando a informação de maneira mais direta e objetiva e atraente. Dessa maneira, os acadêmicos envolvidos têm espaço para o aperfeiçoamento técnico e formação em divulgação por meio digital. Por fim, o presente projeto se caracteriza por uma extensão tecnológica, adequada ao presente momento e ainda tendo a vantagem de ultrapassar as barreiras regionais de atuação, integrando instituições geograficamente distantes e, ainda, sendo disponível a todos com acesso à internet. Referências CANUTO, R.; FANTON, M.; LIRA, P. I. C. DE. Iniquidades sociais no consumo alimentar no Brasil: uma revisão crítica dos inquéritos nacionais. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24, n. 9, p. 3193–3212, set. 2019. GORAYEB, T. C. C., MARTINS, F. H., COSTA, M. V. C. G., JUNIOR, J. G. C., BERTOLIN, D. C., & DEZANI, A. A. Estudo das perdas e desperdício de frutas no Brasil. Anais Sintagro, 11(1), 2019. LARSON, N. I.; STORY, M. T.; NELSON, M. C. Neighborhood Environments Disparities in Access to Healthy Foods in the U.S. American Journal of Preventive Medicine, v. 36, n. 1, p. 74- 81.e10, jan. 2009. MEDINA, L. DE P. B. et al. Desigualdades sociais no perfil de consumo de alimentos da população brasileira: Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 22, n. suppl 2, 2019.
Resultados esperados
A partir dos objetivos de promoção e divulgação de teorias e práticas que discutam o papel das diferentes paisagens, implantação de hortas urbanas em pequenos espaços, transformações de saúde e bem-estar através do consumo e relação alimentar e da promoção da interdisciplinaridade as ações desse projeto pretendem alcançar os mais diversos públicos. A presente ação de extensão espera promover esses conhecimentos como meio para busca de vivências mais harmoniosas com o espaço, o meio ambiente, corpo e mente. Ainda o presente projeto pretende ao longo do seu desenvolvimento, produzir recursos midiáticos, temas e formas de abordagem que auxiliam a uma comunicação e interação mais atrativa e interessante ao público. Como o acesso é público pela internet e mídias sociais, é difícil acompanhar o perfil do público que acompanha as comunicações. O quantitativo e acompanhamento serão avaliados e acompanhados para dinâmica e adequação nos indicativos das mídias sociais e plataformas utilizadas.
Projeto em âmbito confidencial
Não
Projeto superior
-
Palavra-chave 1
paisagens produtivas
Palavra-chave 2
diversidade alimentar
Palavra-chave 3
sustentabilidade
Palavra-chave 4
[Não informado]
Tipo de evento
Não se aplica
Carga horária do curso
[Não informado]
Situação
Em andamento
Avaliação
Sem pendências de avaliação
Última avaliação
[Não informado]
Gestão do conhecimento e gestão financeira
O projeto pode gerar conhecimento passível de proteção?
Não
Propriedade Intelectual
[Não informado]
Proteção Especial
[Não informado]
Direito Autoral - Copyright
Não
O projeto contrata uma fundação? Indique a fundação
Não necessita contratar fundação
Classificações
Tipo
Classificação
Classificação CNPq
2.05.03.00-8 ECOLOGIA APLICADA
Caracterização das ações de extensão
02 PROJETO DE EXTENSÃO
Áreas temáticas (Política de extensão/2019)
04 EDUCAÇÃO
Linhas de extensão (Política de extensão/2019)
05.00 MEIO AMBIENTE
Objetivos Sustentáveis da ONU
02 Fome Zero e Agricultura Sustentável
Objetivos Sustentáveis da ONU
03 Saúde e Bem-Estar
Objetivos Sustentáveis da ONU
04 Educação de Qualidade
Objetivos Sustentáveis da ONU
11 Cidades e Comunidades Sustentáveis

Plano Gestão
Objetivo Estratégico
PDI 2016-2026 - Desafios
Gestão ambiental
Participantes
Matrícula Nome Função Carga Horária Período
@{matricula} @{pessoa.nomePessoa} @{funcao.descricao} @{cargaHoraria} h/semana @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Órgãos
Unidade Função Período
@{descricao} @{funcao.descricao} @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Cidades de atuação
Cidades
Cidade
UF
Período
Cachoeira do Sul
RS
01/10/2020 a 31/12/2023
Público alvo
Público alvo
300
Tipo de público
Sexo
Feminino
Masculino
Gênero
Feminino
Masculino
Faixa Etária
Adulto
Criança
Adolescente
Idoso
Nível de Escolaridade
Analfabeto funcional
Educação infantil (Creche - até 3 anos; Pré-Escola - 4 e 5 anos)
Ensino Fundamental
Ensino Médio
Ensino Superior
Superior Incompleto
Pós Graduação
Mestrado
Doutorado
Pós Doutorado
Estratificação Social
Alta vulnerabilidade social
Baixa vulnerabilidade social
Sem vulnerabilidade social
Domicilio/ Residência
Rural
Urbana
Plano de Trabalho
Metas/Indicadores/Fases
  • Meta:
    001 - Criação e gestão de mídias sociais do projeto
    Período:
    01/10/2020 a 01/12/2023
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
    • Indicador:
      Número de conteúdos produzidos
      Valor:
      [Não informado]
      Conclusão:
      0
    • Indicador:
      Número de assinantes/seguidores /visualizações dos materiais produzidos
      Valor:
      [Não informado]
      Conclusão:
      0
  • Meta:
    002 - Ampliar o número de assinantes e visualizações das mídias
    Período:
    03/05/2021 a 01/12/2023
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    003 - Produzir recursos audiovisuais informativos para compartilhamento pelas redes sociais
    Período:
    12/04/2021 a 01/12/2023
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    004 - Promover o diálogo entre diferentes áreas do conhecimento através da rede de integrantes e colaboradores
    Período:
    12/04/2021 a 31/12/2023
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
    • Indicador:
      Número de espaços de intervenções e trocas de saberes do tema do projeto
      Valor:
      [Não informado]
      Conclusão:
      0
    • Indicador:
      Número de instituições parceiras e colaboradoras
      Valor:
      [Não informado]
      Conclusão:
      0
    • Indicador:
      Número de estudantes de graduação da UFSM e externos participantes
      Valor:
      [Não informado]
      Conclusão:
      0
    • Indicador:
      Número de docentes, pesquisadores e/ou especialistas de outras instituições
      Valor:
      [Não informado]
      Conclusão:
      0
    • Indicador:
      Número de docentes da UFSM participantes
      Valor:
      [Não informado]
      Conclusão:
      0
    • Indicador:
      Número de técnicos-administrativos da UFSM participantes
      Valor:
      [Não informado]
      Conclusão:
      0