Visualizar projeto

Dados Básicos
Título
Caracterização de compostos fenólicos em diferentes cultivares de noz-pecã
Número do projeto
054778
Número do processo
23081.030913/2020-55
Classificação principal
Pesquisa
Data inicial
01/01/2020
Data final
28/02/2022
Resumo
O estado do Rio Grande do Sul é um grande produtor de noz-pecã [Carya illinoinensis (Wangenh) K. Koch] devido aos fatores edafoclimáticos que contribuem significativamente para seu cultivo, além de incentivos que o governo oferece aos pequenos e médios produtores como uma fonte de renda extra. A noz-pecã, assim como outros frutos secos, está cada vez mais presente na mesa dos consumidores, contribuindo para uma alimentação saudável e nutritiva, pois possui em sua composição lipídios, vitaminas, minerais, proteínas e compostos benéficos ao organismo, como os compostos fenólicos, cujo consumo vem sendo correlacionado com menores probabilidades de desenvolvimento de diversas doenças. O objetivo do presente trabalho visa caracterizar e quantificar a composição fenólica de 09 cultivares de noz-pecã (Barton, Imperial, Melhorada, Jackson, Pawnee, Shawnee, Importada, Chickasaw e Mohawk), do estado do Rio Grande do Sul, nas diferentes partes constituintes, a casca, a amêndoa e o óleo obtido durante a extração do teor de lipídeos totais. As análises que serão realizadas compreendem o teor de compostos fenólicos totais e sua caracterização por HPLC-MS/MS, a capacidade antioxidante pelo método ORAC e o perfil de ácidos graxos do óleo. O trabalho pretende reunir informações importantes sobre a variabilidade da composição fenólica nas diferentes cultivares de noz-pecã do estado do Rio Grande do Sul, contribuindo para a obtenção e discussão de dados que serão de grande valia para o setor de pecanicultura na busca por produtos de qualidade.
Objetivos
OBJETIVO GERAL Caracterizar e quantificar os compostos fenólicos presentes na casca e na amêndoa de 9 cultivares de noz-pecã cultivadas no estado do Rio Grande do Sul. OBJETIVOS ESPECÍFICOS a) Otimizar as etapas de análise e caracterização da composição fenólica presente na casca e na amêndoa de todas as cultivares; b) Avaliar se os extratos polares da casca e da amêndoa possuem capacidade antioxidante de desativação do radical peroxil, e como essa capacidade se diferencia entre as nove cultivares; c) Caracterizar os ácidos graxos constituintes do óleo das nove cultivares de noz-pecã obtido durante a extração do teor de lipídeos totais.
Justificativa
O consumo de grãos e sementes oleaginosas, atualmente, tem aumentado devido à maior demanda por produtos saudáveis com efeitos benéficos ao organismo. Este tipo de alimento pode servir como fonte de prebióticos no trato gastrointestinal, assim como equilibrar a dieta ao fornecer minerais, vitaminas, gorduras saudáveis (ômega 3, 6 e 9) e compostos antioxidantes. Os frutos secos, como as castanhas, amêndoas, avelãs e noz-pecã também apresentam estas características nutricionais, sendo cada vez mais inseridas na mesa da população mundial, como um incremento na dieta de um hábito saudável de vida. No Brasil, a produção de frutos secos é voltada especialmente a castanha-do-Brasil, castanha-de-caju, macadâmia e noz-pecã. O mercado brasileiro que apresenta grande potencial para o cultivo da noz-pecã, tende a crescer a cada ano, visando a exportação dela para outros países. Os fatores edafoclimáticos do Rio Grande do Sul contribuem para uma alta produtividade do fruto, principalmente devido à exigência em horas de frio da qual a nogueira necessita. Também os incentivos oferecidos pelo governo, como a oferta de mudas, treinamentos para os produtores sobre a forma de cultivo, podas, adubação, irrigação e técnicas para evitar pragas e doenças na plantação são de suma importância para alavancar a economia do estado, incentivando a prática da cultura como uma fonte alternativa de renda ao pequeno e médio produtor. A noz-pecã é consumida, principalmente, na sua forma in natura, podendo também ser incorporada em diversos produtos de panificação e confeitaria, além de seu óleo que se classifica na linha de produtos gourmet. Também pode ser consumida na forma de chá a partir da infusão de suas cascas. Diversos estudos vêm sendo dirigidos à noz-pecã, avaliando o fruto, o óleo e os resíduos gerados pela indústria, como as cascas e a torta resultante da prensagem para obtenção do óleo. Segundo alguns autores, são necessários mais trabalhos para caracterizar melhor os tipos de nozes que são produzidos no sul do país, quanto às características físico-químicas e nutricionais, para ampliar as formas de utilização deste fruto. Na composição da noz-pecã encontram-se quantidades significativas de lipídios monoinsaturados (ômega 3 e 6), os quais podem contribuir para o aumento dos índices de HDL no sangue. Além disso, também são encontrados minerais (zinco, magnésio e selênio), importantes para o bom funcionamento do organismo, e compostos bioativos, entre eles os tocoferóis e os compostos fenólicos, os quais podem proteger nossas células sadias contra a ação de radicais livres. Neste contexto, busca-se avaliar detalhadamente o perfil fenólico e a capacidade antioxidante de diferentes cultivares de noz-pecã do estado do Rio Grande do Sul, analisando o fruto em suas diferentes partes, casca, amêndoa e óleo. Esta composição bioativa ainda não foi totalmente explorada, devido ao fato da noz-pecã apresentar uma grande variedade destes compostos e poucas cultivares terem sido estudadas em relação às tantas que existem no mundo. De posse destes dados, será possível traçar um panorama mais completo sobre a qualidade das diferentes cultivares no que se refere aos compostos fenólicos. Além disso, a informação a respeito do percentual de óleo que apresenta cada cultivar poderá auxiliar na escolha correta de determinadas cultivares para a indústria de óleos, ou até mesmo, na escolha de nozes com menor quantidade de óleo para aplicação em produtos de panificação ou confeitaria a fim de evitar a rancificação dos produtos.
Resultados esperados
- Reunir, em um trabalho único e abrangente, informações sobre importantes constituintes químicos de diferentes cultivares de noz-pecã do estado do RS. - Obter informações detalhadas sobre a identidade e a quantidade de compostos fenólicos nas partes constituintes da noz-pecã, casca e amêndoa. - Contribuir para a melhoria da qualidade dos produtos do setor da pecanicultura do Rio Grande do Sul.
Projeto em âmbito confidencial
Não
Projeto superior
-
Palavra-chave 1
nogueira pecã
Palavra-chave 2
HPLC-MS/MS
Palavra-chave 3
compostos fenólicos
Palavra-chave 4
frutos secos
Tipo de evento
Não se aplica
Carga horária do curso
[Não informado]
Situação
Em andamento
Avaliação
Sem pendências de avaliação
Última avaliação
20/04/2021
Gestão do conhecimento e gestão financeira
O projeto pode gerar conhecimento passível de proteção?
Não
Propriedade Intelectual
[Não informado]
Proteção Especial
[Não informado]
Direito Autoral - Copyright
Não
O projeto contrata uma fundação? Indique a fundação
Não necessita contratar fundação
Classificações
Tipo
Classificação
Classificação CNPq
5.07.01.02-9 QUÍMICA, FÍSICA, FÍSICO-QUÍMICA E BIOQUÍMICA DOS ALIM. E DAS MAT.-PRIMAS ALIMENTARES
Linha de pesquisa
00.02.07.03 QUALIDADE DE ALIMENTOS
Quanto ao tipo de projeto de pesquisa
2.03 Projeto de Dissertação

Plano Gestão
Objetivo Estratégico
PDI 2016-2026 - Desafios
Educação inovadora e transformadora com excelência acadêmica
Participantes
Matrícula Nome Função Carga Horária Período
@{matricula} @{pessoa.nomePessoa} @{funcao.descricao} @{cargaHoraria} h/semana @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Órgãos
Unidade Função Período
@{descricao} @{funcao.descricao} @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Plano de Trabalho
Metas/Indicadores/Fases
  • Meta:
    01 - Coleta das amostras
    Período:
    01/03/2020 a 30/04/2020
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    100 %
  • Meta:
    02 - Pré-processamento das amostras para congelamento
    Período:
    01/05/2020 a 31/07/2020
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    100 %
  • Meta:
    03 - Realização de testes com as metodologias
    Período:
    01/07/2020 a 30/09/2020
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    100 %
  • Meta:
    04 - Otimização das metodologias
    Período:
    01/10/2020 a 31/12/2020
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    100 %
  • Meta:
    05 - Caracterização da fração lipídica
    Período:
    01/01/2021 a 30/06/2021
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    50 %
  • Meta:
    06 - Caracterização dos compostos fenólicos
    Período:
    01/03/2021 a 30/11/2021
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    07 - Avaliação da capacidade antioxidante
    Período:
    01/10/2021 a 31/12/2021
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    08 - Conclusão da análise dos dados e redação dos artigos científicos
    Período:
    01/11/2021 a 28/02/2022
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %