Visualizar projeto

Dados Básicos
Título
Observatório Socioeconômico da COVID-19: Uma análise do impacto da pandemia em questões econômicas e sociais por meio de uma perspectiva estadual, regional e nacional
Número do projeto
054188
Número do processo
23081.020361/2020-77
Classificação principal
Pesquisa
Data inicial
01/05/2020
Data final
31/12/2024
Resumo
Este projeto visa identificar os impactos socioeconômicos causados pela pandemia de COVID-19 dentro da realidade do Rio Grande do Sul, das macrorregiões brasileiras e na economia brasileira como um todo e quais são os possíveis cenários a serem estimados para a recuperação das economias e realidades sociais de cada localidade. Especificamente, pretende-se: criar um observatório de padronização dos impactos nas realidades estadual, regional e nacional; identificar as diferenças dos impactos nas diferentes localidades realizando sua divulgação por meio do observatório; elaborar planos de ações de cunho econômico e social visando subsidiar políticas públicas para combater os impactos negativos no âmbito estadual, regional e nacional, realizando sua divulgação por meio do observatório socioeconômico; reunir estudos e discussões no observatório sobre os impactos socioeconômicos da pandemia de COVID-19, tendo em vista a dinâmica de atualização que a expansão da doença e o decorrer do tempo exigem. Nesse sentido, utilizar-se-á dos instrumentais de Econometria de Séries Temporais e do instrumental Projeto de Análise de Equilíbrio Geral da Economia Brasileira (PAEG).
Objetivos
2.1 Objetivo Geral: Verificar os impactos socioeconômicos causados pela COVID-19 dentro da realidade do Rio Grande do Sul (RS), das macrorregiões brasileiras e da economia brasileira como um todo, estimando cenários de recuperação para as economias e realidades sociais de cada localidade por meio da criação de um Observatório Socioeconômico da COVID-19. 2.2 Objetivos específicos: Criar um observatório de padronização dos impactos nas realidades estadual, regional e nacional; Identificar as diferenças dos impactos nas diferentes localidades, realizando sua divulgação por meio do observatório; Elaborar planos de ações de cunho econômico e social visando subsidiar políticas públicas para combater os impactos negativos no âmbito estadual, regional e nacional, realizando sua divulgação por meio do observatório socioeconômico; e Reunir estudos e discussões no observatório sobre os impactos socioeconômicos da COVID-19, tendo em vista a dinâmica de atualização que a expansão da doença e o decorrer do tempo exigem.
Justificativa
O mundo já passou por grandes crises econômicas, como a Grande Depressão de 1929 e a Crise do Subprime de 2008. Atualmente, uma crise econômica totalmente diferente das anteriores passa a gerar impactos internacionais, que é a crise da COVID-19. Essa é uma crise que não é derivada do próprio funcionamento das estruturas econômicas, como as anteriores, mas uma crise sanitária, que afeta os aspectos de saúde e que gera consequências socioeconômicas devastadoras (MATTEI, 2020). Em uma realidade operacional, os diversos países do mundo estão lutando para reunir dados e informações necessários, de diferentes setores da sociedade, para permitir uma análise rápida e uma resposta abrangente aos riscos impostos pela pandemia. Entretanto, há uma nítida dificuldade em informações relevantes e dados pertinentes para que resoluções apropriadas sejam tomadas (NAQVI, 2020). É diante desse contexto que se faz necessário um observatório com dados socioeconômicos de impactos da COVID-19 e da simulação dos impactos de cenários de medidas econômicas. Apesar de haver diversos sítios eletrônicos oficiais brasileiros e internacionais, a maioria dá enfoque para o número de casos e mortes nas cidades e regiões e/ou apresenta o mapa epidemiológico da doença. Há observatórios de enfoque socioeconômico, entretanto, estes, como o da Fundação Oswaldo Cruz (FIOGRUZ) e da Comissão Econômica para América Latina e o Caribe (CEPAL), não trazem dados sistematizados sobre os impactos socioeconômicos da doença e das medidas de resposta, mas uma série de trabalhos e discussões sobre os aspectos socioeconômicos da COVID-19. Atualmente, sabe-se que os efeitos econômicos gerados pela COVID-19 poderão ter impactos que venham a destruir a estrutura econômica de um país caso não haja medidas efetivas por parte dos governos para combater essa nova realidade. Isso acontece porque já é possível inferir que os impactos econômicos dessa pandemia terão duração de longo prazo (MATTEI, 2020). Algumas decisões econômicas precisam ser tomadas, conforme Nersisyan e Wray (2020), dentre elas a renegociação das dívidas das famílias durante esse período de crise e atenção às particularidades das comunidades carentes. Outras decisões, conforme Mattei (2020), estão relacionadas a garantir o funcionamento das empresas por meio de aspectos relacionados à manutenção do seu capital de giro, preservar os níveis de emprego e de salário dos trabalhos e atender àqueles que estão excluídos economicamente. Ainda nessa perspectiva, autores como Minsky (2013) defendem uma forte intervenção do Estado na economia, através de políticas fiscais e monetárias, visando preservar o emprego e a renda das famílias. Nesse contexto, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD, 2020) identifica como algumas possíveis medidas econômicas os suplementos salariais para micro, pequenas e médias empresas, suspensão ou diminuição temporária de pagamento de impostos, pagamento de rendas para autônomos e informais, medidas regulatórias da taxa de câmbio, isenção de impostos para os setores mais atingidos pela crise e controle de preços de itens da cesta básica e de suprimentos essenciais de saúde. De forma geral, as medidas públicas para auxiliar nesse momento acabam se tornando essenciais na medida em que são necessárias ações para combater os impactos da doença nas diferentes esferas da sociedade. Ademais, a geografia em desenvolvimento sobre a pandemia demonstra que nem todos os países são impactados da mesma forma pela COVID-19. O mesmo princípio pode ser aplicado quando se refere a regiões dentro de um mesmo país como, por exemplo, o norte da Itália e a região de Nova Iorque nos Estados Unidos (NAQVI, 2020). Isso é tratado da mesma forma para o Brasil, que não pode ser tratado apenas como uma unidade, tendo em vista o seu aspecto territorial de continente. É a partir dessa premissa que análises socioeconômicas de um país como um todo são importantes. Porém, mais importantes ainda são as análises que levam em consideração as particularidades regionais a fim de que cada situação possa ser detalhada e que as recomendações levem em consideração essas particularidades. Tal motivo é que leva o estudo a ser centrado além do contexto nacional, na realidade das grandes regiões brasileiras e no estado do Rio Grande do Sul, nas suas diferentes realidades regionais em virtude de esse ser o estado financiador do edital. Um observatório socioeconômico com dados dos impactos que essas variáveis sofreram nas economias locais serve, em um primeiro momento, como um sistema de informação que pode pautar uma tomada de decisão. A partir disso, a proposta do observatório não é apenas ser informativo, mas demonstrar quais medidas podem ser tomadas e seus reflexos a fim de colocar em debate atitudes intervencionistas das administrações públicas locais pesquisadas. Assim, a COVID-19 exige respostas urgentes. Além das medidas de saúde, são necessárias políticas e outras medidas para suavizar os impactos negativos socioeconômicos da crise (PNUD, 2020). Ademais, é necessária a promoção de parcerias eficazes para abordar as disparidades econômicas da doença (RODELA et al., 2020). A partir disso, a proposição do observatório socioeconômico dessa pesquisa, além de demonstrar o impacto dessas variáveis, irá propor a nível nacional, regional e estadual, medidas para minimizar esses impactos e de que maneira, tanto conceitual como numérica, isso vai acontecer.
Resultados esperados
O principal resultado deste projeto deverá ser uma contribuição teórica e técnica relevante ao tema das questões socioeconômicas ligadas à COVID-19 amparada por evidências empíricas. Tais impactos, de natureza teórica e teórico-empírica, serão resultantes das publicações acadêmicas do pesquisador, de forma isolada ou em co-autoria, em: a) Criação do observatório e manutenção como base de dados e informações para a formulação de políticas públicas; b) Submissão e publicação de dois artigos em periódicos de qualis de alto impacto (A1 e A2); c) A apresentação de trabalhos em quatro congressos científicos no Brasil e no exterior; e d) Organização de workshops e fóruns para divulgar os resultados da pesquisa. São resultados decorrentes do trabalho de orientação dos alunos envolvidos no projeto, contribuindo para: a) formação de alunos em iniciação científica; b) formação de mestres; e c) qualificação de professores como pesquisadores sociais frente a eventos de impacto global.
Projeto em âmbito confidencial
Não
Projeto superior
-
Palavra-chave 1
COVID-19
Palavra-chave 2
Políticas Públicas
Palavra-chave 3
Observatório
Palavra-chave 4
[Não informado]
Tipo de evento
Não se aplica
Carga horária do curso
[Não informado]
Situação
Em andamento
Avaliação
Sem pendências de avaliação
Última avaliação
10/05/2021
Gestão do conhecimento e gestão financeira
O projeto pode gerar conhecimento passível de proteção?
Não
Propriedade Intelectual
[Não informado]
Proteção Especial
[Não informado]
Direito Autoral - Copyright
Não
O projeto contrata uma fundação? Indique a fundação
Não necessita contratar fundação
Classificações
Tipo
Classificação
Classificação CNPq
6.02.02.00-9 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Grupo do CNPq
722 Grupo de Estudos em Administração Pública, Econômica e Financeira
Linha de pesquisa
00.02.01.00 ADMINISTRAÇÃO
Quanto ao tipo de projeto de pesquisa
2.01 Projeto de Pesquisa Pura

Plano Gestão
Objetivo Estratégico
PDI 2016-2026 - Desafios
Desenvolvimento local, regional e nacional
Participantes
Matrícula Nome Função Carga Horária Período
@{matricula} @{pessoa.nomePessoa} @{funcao.descricao} @{cargaHoraria} h/semana @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Órgãos
Unidade Função Período
@{descricao} @{funcao.descricao} @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Plano de Trabalho
Metas/Indicadores/Fases
  • Meta:
    1 - Revisão bibliográfica, aperfeiçoamento do modelo da pesquisa e criação do observatório
    Período:
    01/05/2020 a 31/12/2024
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    80 %
    • Fase:
      1.3 - Criação e manutenção do Observatório Socioeconômico da COVID-19
      Período:
      01/05/2020 a 31/12/2022
      Conclusão:
      100 %
    • Fase:
      1.1 - Revisão bibliográfica em bases nacionais e internacionais
      Período:
      01/05/2020 a 31/12/2021
      Conclusão:
      80 %
    • Fase:
      1.2 - Aperfeiçoamento do modelo da pesquisa - série temporais e equilíbrio geral
      Período:
      01/05/2020 a 31/12/2021
      Conclusão:
      60 %
  • Meta:
    2 - Estimação dos impactos e coletas de dados em bases de dados
    Período:
    15/05/2020 a 31/10/2022
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    60 %
    • Fase:
      2.1 - Estimação dos modelos de séries temporais
      Período:
      15/05/2020 a 31/10/2022
      Conclusão:
      50 %
    • Fase:
      2.2 - Estimação do modelo de equilíbrio geral
      Período:
      15/05/2020 a 31/10/2022
      Conclusão:
      50 %
    • Fase:
      2.3 - Coleta e organização das bases de dados
      Período:
      15/05/2020 a 31/10/2022
      Conclusão:
      80 %
  • Meta:
    3 - Procedimentos de fechamento e calibração do modelo
    Período:
    01/06/2020 a 15/11/2022
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    4 - Proposição e estimação de impactos de mitigação da pandemia
    Período:
    01/07/2020 a 01/12/2022
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
    • Fase:
      4.3 - Impactos da pandemia para o Brasil
      Período:
      01/07/2020 a 01/12/2022
      Conclusão:
      0 %
    • Fase:
      4.2 - Impactos da pandemia para as regiões brasileiras
      Período:
      01/07/2020 a 01/12/2022
      Conclusão:
      0 %
    • Fase:
      4.1 - Impactos da pandemia para o Rio Grande do Sul
      Período:
      01/07/2020 a 01/12/2022
      Conclusão:
      0 %
  • Meta:
    5 - Workshops e palestras
    Período:
    01/10/2020 a 31/12/2024
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
    • Indicador:
      5.2 - Realização de ao menos 2 palestras com apresentações dos resultados do projeto
      Valor:
      2 palestras
      Conclusão:
      0 palestras
    • Indicador:
      5.1 - Realização de ao menos 2 workshops com apresentações dos resultados do projeto
      Valor:
      2 Workshops
      Conclusão:
      0 Workshops
  • Meta:
    6 - Participação em eventos científicos
    Período:
    01/10/2020 a 31/12/2024
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
    • Indicador:
      6.1 - Participação em ao menos dois eventos científicos
      Valor:
      2 Evento Científico
      Conclusão:
      0 Evento Científico
  • Meta:
    7 - Redação do relatório
    Período:
    01/01/2021 a 01/05/2021
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    8 - Revisão ortográfica e gramatical
    Período:
    01/05/2021 a 01/06/2021
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
  • Meta:
    9 - Redação de trabalhos para congressos e periódicos
    Período:
    01/06/2021 a 31/12/2024
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %
    • Indicador:
      9.2 - Redação de trabalhos para congressos e periódicos
      Valor:
      2 Artigo Científico
      Conclusão:
      0 Artigo Científico
    • Indicador:
      9.1 - Redação de trabalhos para congressos e periódicos
      Valor:
      2 Trabalho de Evento
      Conclusão:
      0 Trabalho de Evento