Visualizar projeto

Dados Básicos
Título
EFEITOS DO TREINAMENTO MUSCULAR INSPIRATÓRIO E DA ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA NEUROMUSCULAR EM PACIENTES COM DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA
Número do projeto
050879
Número do processo
23081.003407/2019-50
Classificação principal
Pesquisa
Data inicial
01/12/2018
Data final
30/06/2022
Resumo
A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) representa um importante problema de saúde pública na atualidade, sendo caracterizada pela presença de limitação ao fluxo aéreo. Além das implicações sobre a função pulmonar, com a progressão da doença, diversas alterações sistêmicas acontecem, dentre essas a disfunção da musculatura periférica e respiratória, inflamação crônica, redução da capacidade de exercício e da qualidade de vida. Crescente número de evidências têm demonstrando que pacientes com DPOC também apresentam déficits importantes no controle do equilíbrio e consequentemente risco aumentado de quedas. Frente ao exposto, visando a restauração física e psicossocial, recomenda-se a instituição de programas de reabilitação pulmonar (RP), sendo o exercício físico a terapêutica central. Atualmente, duas modalidades terapêuticas têm sido sugeridas como complementares à RP, são elas o treinamento muscular inspiratório (TMI) e a estimulação elétrica neuromuscular (EENM). Entretanto, tais recursos têm sido utilizados apenas em pacientes com fraqueza muscular inspiratória (TMI) e baixa tolerância inicial ao exercício (EENM). Ademais, a redução da força muscular inspiratória e periférica podem repercutir negativamente no controle postural de pacientes com DPOC. Partindo de tal premissa, e dada a importância do equilíbrio como fator de risco modificável para quedas, torna-se relevante investigar se o uso de modalidades terapêuticas (TMI e/ou EENM) poderiam potencializar os efeitos da RP e promover melhora do equilíbrio.
Objetivos
Analisar os efeitos da adição do treinamento multimodal (TMI associado à EENM) comparado a adição individualizada do TMI ou da EENM à reabilitação pulmonar em pacientes com DPOC. Pré e pós a adição da intervenção proposta (TMI e/ou EENM) à reabilitação pulmonar, os seguintes objetivos foram definidos: Avaliar o equilíbrio postural estático e dinâmico; Avaliar a força e a resistência muscular periférica e respiratória; Mensurar a arquitetura muscular do quadríceps femoral e do diafragma; Avaliar a tolerância ao exercício; Avaliar a qualidade de vida; Avaliar o medo de queda; Mensurar o perfil inflamatório, oxidativo, antioxidante e dano ao DNA; Comparar em relação as variáveis anteriores os grupos que adicionalmente ao programa de reabilitação pulmonar irão realizar o treinamento multimodal (TMI associado a EENM) (Grupo I - GI); o TMI (Grupo II - GII); a EENM (Grupo III - GIII) e exclusivamente a reabilitação pulmonar (Grupo IV - GIV).
Justificativa
Ainda de modo incipiente, vem sendo estudada a associação de uma modalidade terapêutica, TMI ou EENM, à reabilitação pulmonar (RP) em pacientes com DPOC. Entretanto, considerando o treinamento físico, na maior parte dos estudos os programas de RP são compostos unicamente por exercício aeróbico e resistido. Além disso, o TMI tem sido utilizado, frequentemente, apenas em pacientes que apresentam fraqueza muscular inspiratória e a EENM em sujeitos com baixa tolerância inicial ao exercício. Frente ao exposto, alguns aspectos devem ser considerados, como: - Não há na literatura estudos que investiguem os efeitos do treinamento multimodal (TMI e EENM) associada à RP de curto prazo em pacientes com DPOC; - Aproximadamente um terço dos pacientes ambulatoriais com DPOC relatam ao menos uma queda durante um período de seis meses; - Alguns dos principais fatores que contribuem para o déficit no equilíbrio postural de pacientes com DPOC compreendem: fraqueza muscular, inatividade física e mobilidade limitada. O TMI e a EENM atuam minimizando tais fatores, entretanto não há na literatura estudos que investiguem a associação destas modalidades terapêuticas e suas implicações no equilíbrio postural de pacientes com DPOC; - A redução da força e da massa muscular nos membros inferiores aumenta significativamente a morbidade, a mortalidade e os custos com a assistência médica; - Além de ser o principal músculo inspiratório o diafragma desempenha importante papel na estabilização da coluna durante tarefas de equilíbrio; - Estudos sugerem que a presença de fraqueza muscular inspiratória pode repercutir negativamente no controle postural proprioceptivo em pacientes com DPOC, decorrente de uma contribuição postural comprometida dos músculos inspiratórios à estabilidade do tronco; - Estudos que investiguem os efeitos de intervenções como o TMI no equilíbrio postural em indivíduos com DPOC são necessários; - A adição da EENM à RP tem sido associada à melhora da tolerância ao exercício e do equilíbrio postural; - Dada a importância do equilíbrio como fator de risco modificável para quedas, existe a necessidade de pesquisa para examinar os efeitos das intervenções na melhora desse em pacientes com DPOC; - Devido as implicações sistêmicas da DPOC tem-se a disfunção da musculatura esquelética e da musculatura respiratória, investigar possíveis terapêuticas que podem atuar como um complemento de baixo custo e fácil inserção na RP torna-se relevante. Diante deste contexto, justifica-se a realização do presente estudo, tendo em vista a necessidade de maiores elucidações sobre os possíveis benefícios para a prática clínica, em sujeitos com DPOC, da adição de recursos terapêuticos (TMI e/ou EENM) de baixo custo e fácil inserção em programas de RP.
Resultados esperados
A adição do treinamento multimodal (TMI associado a EENM) comparada a adição individualizada do TMI ou da EENM à reabilitação pulmonar pode potencializar os efeitos sobre o equilíbrio postural (estático e dinâmico), força muscular e resistência (periférica e respiratória), arquitetura muscular (espessura e ecogenicidade), tolerância ao exercício, qualidade de vida, perfil antioxidante e reduzir o medo de queda, o perfil inflamatório e oxidante e o dano ao DNA em pacientes com DPOC.
Projeto em âmbito confidencial
Não
Projeto superior
044816 - PREVALÊNCIA DAS COMORBIDADES NOS DPC E ANÁLISE DOS MÚLTIPLOS DESFECHOS EM UM PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PULMONAR
Palavra-chave 1
Exercícios Respiratório
Palavra-chave 2
Estimulação Elétrica
Palavra-chave 3
Reabilitação
Palavra-chave 4
DPOC
Tipo de evento
Não se aplica
Carga horária do curso
[Não informado]
Situação
Em andamento
Avaliação
Sem pendências de avaliação
Última avaliação
05/01/2021
Gestão do conhecimento e gestão financeira
O projeto pode gerar conhecimento passível de proteção?
Não
Propriedade Intelectual
[Não informado]
Proteção Especial
[Não informado]
Direito Autoral - Copyright
Não
O projeto contrata uma fundação? Indique a fundação
Não necessita contratar fundação
Classificações
Tipo
Classificação
Classificação CNPq
4.08.00.00-8 FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL
Linha de pesquisa
02.00.00 SAUDE
Quanto ao tipo de projeto de pesquisa
2.04 Projeto de Tese

Plano Gestão
Objetivo Estratégico
PDI 2016-2026 - Desafios
Inovação, geração de conhecimento e transferência de tecnologia
Participantes
Matrícula Nome Função Carga Horária Período
@{matricula} @{pessoa.nomePessoa} @{funcao.descricao} @{cargaHoraria} h/semana @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Órgãos
Unidade Função Período
@{descricao} @{funcao.descricao} @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Plano de Trabalho
Metas/Indicadores/Fases
  • Meta:
    1 - Elaboração do referencial teórico
    Período:
    01/12/2018 a 30/05/2022
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    75 %
  • Meta:
    3 - Aplicação das intervenções propostas
    Período:
    01/06/2019 a 10/05/2022
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    25 %
  • Meta:
    4 - Discussão dos achados e elaboração final da tese
    Período:
    01/04/2022 a 30/06/2022
    Valor:
    R$ [Não informado]
    Conclusão:
    0 %