Visualizar projeto

Dados Básicos
Título
EDUCAÇÃO EM SOLOS: PRÁTICAS DE EXPERIMENTOTECAS COM ÊNFASE NA MORFOLOGIA DO SOLO, JUNTO AOS EDUCANDOS DA ESCOLA MUNICIPAL EUCLIDES DA CUNHA, SANTA MARIA-RS
Número do projeto
047870
Número do processo
23081.050793/2017-15
Classificação principal
Pesquisa
Data inicial
06/03/2017
Data final
04/03/2022
Resumo
A percepção da importância frente ao estudo dos solos nas escolas de ensino básico demanda por avanços. A insuficiência na compreensão da importância do solo como um sistema face ao meio ambiente, como vem sendo reproduzida ao longo de décadas no ensino básico, é um fator recorrente uma vez que os assuntos referentes ao tema solos são ministrados de forma estática, ou seja, com pouca ou sem contextualização sem relacioná-los a esfera ambiental. Dessa forma, o tema solo passa a não ter sua importância e reconhecimento, sendo necessário melhorar o entendimento acerca da importância do manto pedológico para os sistemas ambientais. O solo é um componente do ambiente natural resultante das diversas interações existentes entre os principais sistemas terrestres (atmosfera, hidrosfera, litosfera e biosfera). Situado na interface entre tais sistemas, o solo desempenha um importante papel na regulação e equilíbrio ambientais, se constituindo em um elemento essencial à manutenção da vida na Terra. Mesmo assim, o solo não é compreendido à luz das interações ecológicas como deveria (BRIDGES e VAN BAREN, 1997). De maneira geral, as pessoas têm uma atitude de pouca consciência e sensibilidade em relação ao solo, o que contribui para a sua degradação, seja pelo seu manejo inadequado, ou pela sua ocupação desordenada. A percepção da importância do solo e da necessidade de sua conservação não faz parte, ou está pouco inserida no cotidiano das pessoas. Isso contribui para o crescimento contínuo dos problemas ambientais ligados à degradação do solo. Dessa forma, a pesquisa pretende analisar como os educandos da Escola Euclides da Cunha, no município de Santa Maria, RS aprendem o tema solo no ensino básico e como sua morfologia é percebida por eles. Para isso serão utilizados mapas conceituais como estrutura conceitual para representar o conjunto de idéias e conceitos organizados cognitivamente pelos alunos da Escola. Nesse sentido, as experimentotecas serão um instrumento na educação em solos. As experimentotecas serão utilizadas para a facilitação, a ordenação e a sequenciação hierarquizada dos conteúdos a serem abordados, de modo a oferecer estímulos adequados à aprendizagem. Espera-se que os educandos compreendam e executem análises na prática, segundo as características visíveis a olho nu, ou perceptível das descrições morfológicas dos solos.Segundo Tomazello e Schiel (1998, p. 6), “Experimentoteca é um laboratório das Ciências da Natureza que pretende racionalizar o uso de material experimental, da mesma maneira que uma biblioteca pública facilita o acesso de um grande número de publicações a um público extenso”. Compreende-se que o termo “racionalizar” posto por esses autores denota o significado de subsidiar o trabalho do professor com o uso de materiais experimentais em sala de aula. A ideia principal das experimentotecas é funcionar como uma fonte de materiais para que o professor possa realizar experimentos a fim de enriquecer suas aulas. Os professores nas aulas de geografia, por carência de metodologia, assim como, por insuficiência do conhecimento específico sobre o assunto, encontram dificuldades na abordagem dos conteúdos pedológicos no contexto ambiental, provocando a sua fragmentação e descontextualização, resultando no desinteresse de professores e alunos pelo tema. As escolas estão inseridas em um ambiente que pode ser amplamente utilizado para abordar o tema, mas por motivos diversos, como por exemplo, a falta de (re)conhecimento do espaço no entorno, essas possibilidades são desconsideradas, ou mesmo desconhecidas (MUGGLER et al, 2006).
Objetivos
Obetivo geral O trabalho tem como objetivo geral contribuir com a educação e o ensino de solos a partir de práticas de experimentotecas com ênfase na morfologia do solo na Escola Municipal Euclides da Cunha. Objetivos específicos Elaborar as experimentotecas bem como planejar os trabalhos de campo (coleta dos materiais). Aplicar as experimentotecas como propósito de realizar uma conscientização sobre a importância do estudo do sistema solo juntamente com as interações do mesmo com o meio ambiente. Criar um blog pedagógico com a finalidade de ser uma plataforma onde os resultados estarão expostos e acessíveis a toda comunidade escolar.
Justificativa
Ao analisar os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), aparentemente, não há um ciclo específico no qual deva ser trabalhado este conteúdo. A morfologia dos solos deve ser encarada pelo professor como uma ferramenta didática que pode ser útil desde as mais elementares observações do primeiro e segundo ciclo do ensino fundamental (BRASIL,1997), até estudos mais aprofundados no terceiro e quarto ciclo (BRASIL, 1998). FRASSON e WERLANG (2010) enfatizam que mesmo diante da emergência dos temas que tangem os problemas ambientais, há uma carência de atenção frente à degradação dos solos. Destacam o solo, como componente essencial do meio ambiente e, portanto, à vida, têm seu estudo pouco valorado perante o ensino básico e perante outros elementos naturais como a água e o ar. Apesar de sua importância, o espaço dedicado ao solo, no ensino básico, é frequentemente nulo ou relegado a um plano menor, tanto na área urbana como rural. Este conteúdo nos materiais didáticos, muitas vezes, está em desacordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), encontra-se desatualizado, incorreto ou fora da realidade dos solos brasileiros. Nesse sentido é imperativo aprofundar esse tema no ensino básico, sobretudo em consonância com a disciplina de geografia. Os blogs pedagógicos: Blog é uma das diversas tecnologias da comunicação e informação que são disponibilizadas na Web. A aplicabilidade da ferramenta em contexto educacional terá êxito quando houver envolvimento ao ponto de o aluno assumir a função de co-autor no processo de aprendizagem e o professor um mediador dos conhecimentos adquiridos pelos alunos. Os blogs, no que tange ao ensino, vêm ao encontro de uma educação construtivista,alternativa e motivadora. Essas características fortalecem visto a atração que esta ferramenta exerce sobre os jovens pela grande facilidade de manuseio e publicação na rede mundial de computadores. Os educandos, por sua vez, utilizam essas ferramentas com naturalidade e agilidade superior que os próprios professores, provando que as tecnologias da informação e comunicação já se constituem em senso comum perante os educandos. As gerações daatualidade e as vindouras, já nascem inseridas em um âmbito de tecnologias e tem cada vez mais facilidade e anseio de lidar com elas. Para Gutierrez (2005) Os weblogs abrem espaço para a consolidação de novos papéis para alunos e professores no processo de ensino-aprendizagem, com uma atuação menos diretiva destes e mais participante de todos. Pode-se assim, dar alternativas interativas e suporte a projetos que envolvam a escola e até famílias e comunidade. Dessa forma, o professor obtém o importante papel de mediador do conhecimento. Para tanto, deve estar inserido neste contexto, é fundamental que se aproprie e explore as possibilidades da internet de um modo geral para assim, direcionar e objetivar suas aulas, usando o blog como uma ferramenta de ensino e aprendizagem. Morfologia do solo: Para Lima (2007) a morfologia do solo significa o estudo e a descrição da sua aparência no meio ambiente natural, segundo as características visíveis a olho nu, ou perceptíveis pelo seu manuseio. Os principais atributos observados na descrição morfológica são: cor, consistência, textura e estrutura. Todas as características morfológicas observadas em campo no perfil do solo são de fundamental importância para a caracterização do solo, juntamente com as análises químicas, físicas, e mineralógicas, executadas em laboratório. Cor do Solo: Para Lepsch (2002) As várias tonalidades do perfil são muito úteis para identificar e delimitar os horizontes e, às vezes ressaltam certas condições de extrema importância. A cor é uma das feições pedológicas mais notadas dentre as demais características, por ser de fácil visualização. Textura do Solo: A textura descreve à distribuição relativa das partículas minerais do solo tomando como base seu diâmetro equivalente, estas são denominadas de areia, de silte e de argila (RESENDE et al., 2007; KLEIN, 2008). As partículas minerais do solo apresentam propriedades e comportamentos bastante distintos. A fração areia, em função do maior tamanho, permite maior permeabilidade à água e ao ar no solo, mas baixa capacidade de retenção de água e são consideradas não coesivas.A fração silte possui poros menores e mais numerosos, retendo mais água e uma menor taxa de drenagem do que a areia. A argila, em função do reduzido diâmetro, apresenta uma grande área superficial específica, o que acarreta elevada retenção de água e fluxo lento de ar e água, além de elevada pegajosidade quando úmida e alta coesão quando seca. Para Reichardt e Timm (2004), a argila é a fração do solo que mais influencia o seu comportamento físico. Consistência: LIMA (2007) Entende por consistência a influência que as forças de coesão e de adesão exercem sobre os constituintes do solo, de acordo com suas variáveis estados de umidade. A força de coesão refere-se à atração de partículas sólidas por partículas sólidas. A força de adesão refere-se à atração das moléculas de água pela superfície das partículas sólidas. São aspectos práticos da consistência, que são facilmente observados pelos alunos, a dureza que certos solos apresentam quando secos, ou a pegajosidade que alguns apresentam quando molhados. A consistência pode variar ao longo do perfil do solo, nos seus diferentes horizontes. Porosidade do solo: A porosidade do solo interfere na aeração, condução e retenção de água, resistência à penetração e à ramificação das raízes no solo e, conseqüentemente, no aproveitamento de água e nutrientes disponíveis (TOGNON, 1991). O solo ideal deve apresentar um volume e dimensão dos poros adequados para a entrada, movimento e retenção de água e ar para atender às necessidades das culturas (HILLEL, 1980). Nesse sentido, a porosidade do solo é de extrema importância pois está diretamente relacionada com a textura e estrutura dos solos, ou seja, a capacidade de drenagem interna e retenção de água de um perfil e condições de aeração. Os poros do solo são representados por cavidades de diferentes tamanhos e formas, determinados pelo arranjamento das partículas sólidas (HILLEL, 1972; MARQUES, 2000), e constituem a fração volumétrica do solo ocupada com ar e solução água e nutrientes. Os poros do solo correspondem, portanto, ao espaço onde ocorrem os processos dinâmicos do ar e da solução do solo. A porosidade do solo pode ser definida como o volume de vazios, ou seja, o espaço não ocupado por sólidos orgânicos ou inorgânicos.
Resultados esperados
A partir da concessão da direção escolar para execução do projeto de mestrado, o início das atividades ocorrerá com uma breve conversa com a apresentação do projeto aos educandos, as temáticas das oficinas pedagógicas que serão trabalhadas e seus objetivos. Inicialmente serão propostos mapas conceituais como uma estratégia potencialmente facilitadora de uma aprendizagem significativa. Esses mapas serão aplicados para cada educando referentes aos assuntos que posteriormente serão trabalhados. Em seguida será criado um blog pedagógico que tem como intuito ser uma plataforma para ampliar o acesso da comunidade escolar aos materiais e os resultados das oficinas pedagógicas. Nela estarão disponíveis materiais de apoio como imagens, vídeos, slides, textos, e será um espaço onde os educandos poderão fazer perguntas e os demais colegas poderão responder e, dessa forma, interagir com o professor e com os demais colegas. O blog irá auxiliar os educandos na compreensão das oficinas pedagógicas, subseqüentemente às oficinas aplicadas. Será ainda disponibilizada imagem das experimentotecas e os educandos poderão relatar como foram as experiências e se já possuíam conhecimento relativo a temática ou se foi algo novo. Oficinas Pedagógicas: Oficina Pedagógica I- Maquete demonstrativa da formação do solo. A primeira etapa da oficina contará com uma aula expositiva introduzindo a temática referente à formação do solo, inicialmente os educandos irão a campo coletar amostras dos horizontes A, B e C e o material de origem, ou seja, algum determinado tipo de rocha. Posteriormente os alunos irão montar a maquete com alguns materiais necessários: uma caixa de papelão, amostras de solos coletados e a rocha, após a maquete pronta será feita uma discussão frente a formação do solo, horizontes e rochas. Oficina Pedagógica II- Porosidade do solo: Transportar até a Escola alguns materiais para que a experimentoteca seja realizada com os educandos. Levar agregados de solo com textura argilosa, um pedaço de esponja, uma garrafa com água e fragmento de rocha sedimentar. Em seguida, colocar uma pequena quantia de água sobre cada um dos elementos para que aos alunos possam ver e compreender como ocorre o processo de infiltração e conseguintemente a absorção da água conforme a porosidade. Depois de finalizada essa etapa, será abordado os temas macroporosidade, microporosidade, porosidade primária, porosidade secundária, além da importância daporosidade para o solo e para as plantas. Para finalizar a oficina, serão exibidas algumas imagens ilustrando diferentes tipos de poros. Oficina Pedagógica III- Análise da textura e consistência do solo: A oficina propõe que os educandos dividam-se em três grandes grupos, a tarefa dos grupos será coletar uma amostra ou agregados de solo, após essa etapa pronta, os mesmo terão que elaborar uma prática pedagógica em sala de aula. Para analisar a textura será necessário levar alguns materiais até Escola como: garrafa com água, um recipiente para colocar o solo coletado, um bastão para agitar o solo até formar uma “pasta”, e um recipiente com água lavar as mãos após ter feito o experimento, o objetivo da experimentoteca é que os educandos sintam a textura real do solo que está sendo abordado e descrevê-lo com precisão. A consistência influência na força de coesão e adesão que exercem sobre os constituintes do solo, os educandos deverão classificar o solo em: solo seco, solo úmido e solo molhado. Concluiremos a atividade com a apresentação dos grupos e suas percepções contando com a explanação do dos conteúdos. Oficina Pedagógica IV- Análise da cor do solo: A segunda oficina os educandos irão coletar amostras de solo no quintal e levar até a escola, e posteriormente elaborar perfis para análise da coloração de cada amostra coletada dessa forma será realizada uma discussões frente ao solo escuro, claro, acinzentado, amarelado e avermelhado e seus componentes. Oficina Pedagógica V- Visita ao Laboratório de Sedimentologia da UFSM: A terceira oficina tem como objetivo transportar os educandos da turma 82, até a Universidade Federal de Santa Maria, apresentando o Laboratório de Sedimentologia, contando com uma breve explicação e demonstrações.
Projeto em âmbito confidencial
Não
Projeto superior
046115 - OS ASPECTOS DA GEOMORFOLOGIA E DA EROSÃO HÍDRICA INFLUENCIADA POR CONDIÇÕES FÍSICAS DE SUPERFÍCIE E SUBSUPERFÍCIE EM SOLOS NA DEPRESSÃO PERIFÉRICA SULRIOGRANDENSE.
Palavra-chave 1
Ensino de solos
Palavra-chave 2
Experimentoteca
Palavra-chave 3
Sistema solo
Palavra-chave 4
Morfologia
Tipo de evento
Não se aplica
Carga horária do curso
[Não informado]
Situação
Em andamento
Avaliação
Não avaliado
Última avaliação
17/01/2020
Gestão do conhecimento e gestão financeira
O projeto pode gerar conhecimento passível de proteção?
Não
Propriedade Intelectual
[Não informado]
Proteção Especial
[Não informado]
Direito Autoral - Copyright
Não
O projeto contrata uma fundação? Indique a fundação
Não necessita contratar fundação
Classificações
Tipo
Classificação
Classificação CNPq
1.00.00.00 CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA
Grupo do CNPq
089 Núcleo de Pesquisas em Geomorfologia e Percepção da Paisagem
Linha de pesquisa
99.00.00 LINHA DE PESQUISA INEXISTENTE
Quanto ao tipo de projeto de pesquisa
2.03 Projeto de Dissertação
Objetivos Sustentáveis da ONU
11 Cidades e Comunidades Sustentáveis

Plano Gestão
Objetivo Estratégico
PDI 2016-2026 - Desafios
Educação inovadora e transformadora com excelência acadêmica
Participantes
Matrícula Nome Função Carga Horária Período
@{matricula} @{pessoa.nomePessoa} @{funcao.descricao} @{cargaHoraria} h/semana @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Órgãos
Unidade Função Período
@{descricao} @{funcao.descricao} @{dataInicial|format=dd/MM/yyyy} a @{dataFinal|format=dd/MM/yyyy}
Plano de Trabalho
Metas/Indicadores/Fases
  • Meta:
    01 - - Contribuir com a educação e o ensino de solos a partir de práticas de experimentotecas com ênfase na morfologia, parâmetros físicos e hídricos do solo visando melhorar a compreensão do sistema solo no âmbito da educação ambiental no ensino básico..
    Período:
    06/03/2017 a 04/03/2022
    Valor:
    R$ 0,00
    Conclusão:
    0 %