Brasao UFSM

Anais 25ª JAI

Início  Trabalhos

AVALIAÇÕES DOS NÍVEIS DOS POÇOS DE ABASTECIMENTO DO CAMPUS DA UFSM

CARLOS ALBERTO LOBLER1, JOSE LUIZ SILVERIO DA SILVA 2, RENATA WEBER BORTOLOTTO 3, RODRIGO RAYMUNDO TOSCANI 3

Introdução

O campus da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) vinha sendo abastecido através de 24 captações realizadas em poços tubulares. No ano de 2009, após uma forte estiagem, esta se tornou obrigada a utilizar água tratada fornecida pela Companhia Rio-grandense de saneamento (CORSAN). Trabalhos anteriores de Dutra (2005), Marion (2007 e 2009), D' Ávila (2009) demonstraram a importância da gestão deste recurso hídrico. No ano de 2009 foi iniciado o processo de licenciamento e outorga do uso da água subterrânea junto ao Departamento de Recursos Hídricos (DRH). Estas captações explotam águas subterrâneas do Sistema Aqüífero Guarani em profundidades normalmente inferiores a 100 m, porem o poço localizado próximo ao prédio da FATEC no Campus, apresenta 276 m. Esta água apresenta teores elevados de flúor , sódio, cloretos e sulfatos acima do valor Maximo permissível para consumo humano (portaria n°518/2004). Esta água é utilizada para jardinagem.

Objetivos

Geral: Analisar a flutuação os níveis dos poços de abastecimentos do Campus da UFSM e fazendo comparações com dados coletados em anos anteriores. Específicos: Fazer uma revisão bibliográfica em trabalhos realizados anteriormente que usaram a mesma temática. Atualizar o banco de dados com informações obtidas semanalmente através da coleta de dados em campo. Utilizar Sistemas de Informações Geográficas (SIGs) para espacializar os poços e os dados coletados

Metodologia

Estão sendo monitorados com freqüência semanal o nível da água subterrânea e anotados valores dos hidrômetros nos poços PB01, PB08, PB23, PB20, estação experimental, Estrada jardim botânico, Desativado almoxarifado e Planetário (Dutra 2005). As medições são realizadas com uso do freatimetro sonoro dotado de cabo de 100 m que é introduzido nos poços em analise. Esta sendo mensurada a quantidade de água explotada, através do hidrômetro instalado nestes poços os quais são aferidos semanalmente. Também esta sendo coletada água do poço de 276 m para estudo da flutuação dos parâmetros químicos, junto ao Laboratório de Química Ambiental Industrial (LAQIA-UFSM). Esses dados estão sendo reunidos em um banco de dados atualizado semanalmente.

Resultados

Pode-se observar que no período de 07 de maio a 20 de agosto de 2010, quantidade de água explotada no poço PB01 foi de 368 m³. No poço PB23 no mesmo período a quantidade foi de 794.905 m³. No poço, PB08 o volume no mesmo período dos demais ficou em 50.125 m³. Considerando-se ainda este mesmo período, como base para essa primeira coleta de dados. O nível estático da água no poço PB01 variou de 22,97 m a 30 m, com media de 24,25 m. No poço, PB23 o nível variou de 30,78 m a 47 m com média de 42,20 m. No poço PB20 o nível esteve entre 19,41 m a 22,33 m com media de 19,89 m. No poço estação experimental o nível esteve entre 16 m a 20,24 m com media de 17,30 m. No poço Estrada Jardim Botânico o nível esteve entre 30,28 m e 30,94 m com media de 30,59 m. No poço Desativado almoxarifado o nível ficou entre 23,33 m e 25,62 m, com média de 24,45 m. No poço Planetário o nível da água variou de 20,63 m a 20,95 m com media de 20,73 m.

Conclusão

Esses dados são importantes, para a correta gestão dos recursos hídricos subterrâneos do campus da UFSM, considerando-se seu uso sustentável, isto é sem causar seu rebaixamento nem o esgotamento do recurso hídrico subterrâneo. Esta sendo realizada uma serie histórica de medidas de nível da água.

1 autor, 2 orientador, 3 co-autor